entre em contacto!
Filtrar por cargo...
Gestão de Topo
Melhoria Contínua
Logística
Operações
Produção
Manutenção
Finanças
Qualidade
Gestão de Projeto
Segurança
Ambiente
Recursos Humanos
Informática
Membro de Equipa Projeto
Filtrar por resultados...
Melhorar a Tomada de Decisão
Aumentar o Trabalho em Equipa
Melhorar a Produtividade
Melhorar a fiabilidade
Melhore a operabilidade
Melhorar a manutibilidade
Aumentar a Segurança
Aumentar as condições para inspecção
Melhorar as condições ambientais
Reduzir Inventário
Reduzir utilização de Papel
Reduzir Custos
Reduzir Risco
Resolver Problemas
Reduzir a Variação
Reduzir Desperdício
Reduzir Tempo de Paragem
Optimizar o uso de recursos
Cumprir Prazos
Garantir Conformidade
Definir e optimizar o posto de trabalho
Reduzir o tempo de mudança de ferramenta
Filtrar por curso...
Programa Melhores Práticas em Asset Management
ISO 55000
Gestão do Risco
Gestão do ciclo de vida dos activos
Gestão da Informação e Conhecimento dos Activos
Mapeamento de processos de negócios
Organização e Competências
Sistema de Gestão Integrado
ISO 9001
ISO 13485
ISO TS 16949
Programa de Excelência Operacional
Indicadores Chave e relatórios de desempenho
Overall Equipment Effectiveness
Melhoria Contínua
Criatividade e Inovação
Lean e Six Sigma
Gestão de Projectos
Manutenção Autónoma e a fiabilidade pelo Operador
Análise de causa raiz - Resolução de Problemas
FMEA
Programa de Eliminação de Defeitos
VSM - Value Stream Mapping
5S - Organização do posto de trabalho
Kanban
Mudança de ferramentas e SMED
Poka-Yoke - à prova de erro
Kaizen
Melhores práticas na manutenção e fiabilidade
Gestão da Fiabilidade
Design for ROMSI
Desenvolvimento da estrutura hierárquica
Análise da criticidade dos activos
Análise da condição dos activos
Melhores Práticas na definição da Estratégia de Manutenção
RCM e FMECA
Sistema de registo de falhas e gestão de acções corretivas
Orçamento com base zero e controlo de custos
Planeamento, calendarização e execução da manutenção
Gestão de peças de manutenção
Gestão de contratos de manutenção
TPM - Manutenção Produtiva Total
Modelo de Negócio da Cadeia de Valor Digital com CANVAS
Roadmap para a Digitalização
Gestão de Activos SMART
Excelência operacional SMART
Gestão da manutenção e fiabilidade SMART
Tomada de Decisão baseada em Dados
Processos sem papel
Sistema Informatico de Gestão da Manutenção
Seleccionar parâmetros para manutenção preditiva
Paperless OAC

Objetivos da Formação Mudança de ferramentas e SMED 

Com a Formação Mudança de ferramentas e SMED, será capaz de:

  • Compreender a metodologia de Mudança de ferramentas, baseada na metodologia SMED
  • Conhecer as regras básicas da implementação do SMED na organização
  • Aprender a usar os princípios do SMED em diferentes processos, incluindo a manutenção, qualidade, produção, logística.
  • Demonstrar o impacto da metodologia SMED através da implementação na área piloto

Com um processo optimizado de mudança de ferramentas será possível reduzir o desperdício e o tempo de paragem num processo, melhorando o tempo de substituição de ferramentas, dispositivos, melhorando constantemente a duração das atividades externas.

 

O que é mudança de ferramentas e SMED?

Mudança de ferramentas é o período necessário para preparar um dispositivo, uma máquina, um processo ou um sistema para que ele termine a produção da última peça boa do último lote para produzir a primeira peça boa do novo lote. Esse processo é baseado na metodologia SMED.

O SMED (Single Minute Exchange of Die) é uma metodologia que permite a redução drástica do tempo de mudança de ferramentas. 
A essência do sistema SMED permite converter tantas etapas de mudança quanto possível para “externas” (executadas enquanto o equipamento está em funcionamneto) para simplificar e agilizar as etapas restantes. A designação Single Minute Exchange of Die vem do objetivo de reduzir os tempos de troca para os dígitos “únicos” (isto é, menos de 10 minutos). Um dos melhores exemplos é aplicado na fórmula 1 para substituição de pneus.

No SMED, existem dois tipos de actividades:

  • Actividades internas (Devem ser realizados enquanto o equipamento estiver parado)
  • Actividades externas (Podem ser realizadas enquanto o equipamento está em funcionamento)

O processo SMED permite converter o máximo possível em actividades externas e simplificar e simplificar todos os elementos.

Um programa SMED de sucesso terá os seguintes benefícios:

  • Menor custo de fabricação (troca rápida significa menos tempo de paragem do equipamento)
  • Tamanhos de lote menores (trocas mais rápidas permitem alterações de produtos mais frequentes)
  • Maior capacidade de resposta às solicitações do cliente (tamanhos de lote menores permitem uma calendarização mais flexível)
  • Menores níveis de stock (tamanhos de lotes menores resultam em níveis de stock mais baixos)
  • Arranques de produção mais suaves (processos padronizados de mudança melhoram a consistência e a qualidade)

 

Curso de Formação mudança de ferramentas e SMED

Os formandos irão participar num workshop com sessão teórica e prática que irá incorporar as melhores práticas na mudança de ferramentas e SMED e aplicar o conhecimento num projecto piloto.

O workshop mudança de ferramentas e SMED será realizado com parte prática que irá garantir a implementação dos conceitos adquiridos durante a formação teórica e irá reforçar a compreensão dos fundamentos, métodos e ferramentas básicos associados ao desenvolvimento de uma mudança de ferramentas e SMED em que serão usados modelos específicos e um exemplo de referência.

Saiba mais sobre

Formação e Coaching

saiba mais
Saiba todas as novidades sobre a g3p consulting. Subscreva agora.